9 passos para implementar OKRs com seu time de marketing ainda esta semana

Conteúdo

Independente de tamanho, setor ou serviço, todas as empresas devem buscar uma gestão cada vez mais eficiente. É nessa necessidade que os OKRs atuam. Através deste post, você vai conhecer como aplicá-los em seu negócio para otimizar os resultados. Boa leitura!

Imagine uma foto do marketing de sua empresa. Esta foto vai “congelar” toda a situação em que o marketing se encontra. A organização do time, a força da marca, os ativos de conteúdo, cores, identidade visual, as previsões de entregas, indicadores e tudo mais.

Agora imagine que você irá tirar esta mesma foto daqui a um ano. Como você imagina esta foto? As respostas são as mais variáveis. Mas se de uma maneira geral, seu desejo é que a foto do ano que vem seja melhor, você é um gerente que pensa em crescimento.

E naturalmente para que esta evolução em marketing aconteça é necessário uma jornada, com objetivos bem definidos, formas de mensurá-los e, com toda certeza, muito trabalho durante este período.

A ponte entre o ponto A e o Ponto B é a definição da estratégia e a execução da mesma. E os OKRs podem ajudar.

Afinal, o que são OKRs?

OKR

OKR é a sigla para Objetivos e Resultados chaves.

Trata-se de uma ferramenta de gestão que facilita a definir e conquistar objetivos estratégicos de uma empresa, time ou pessoa, principalmente através da definição de métricas importantes para cada objetivo e a medição de tais métricas com uma certa frequência.

É um método simples, mas que acompanha uma suíte de boas práticas que deram tanta popularidade para a ferramenta. Hoje os OKRs são usados por empresas do mundo todo. Aqui no brasil podemos citar a RD Station, ContaAzul, Nubank, entre outros.

Para manter a didática, vou explicar um pouco mais de cada um:

Objetivos (Objectives)

Objetivos são onde queremos chegar. Normalmente pode ser mais amplo, e significa mais do que um número.

Precisam ser significativos, concretos, orientados a ação e inspiradores.

A melhor forma de explicar é com um exemplo. Vamos usar para este caso uma empresa fictícia de treinamento de gestão financeira para pequenos negócios.

Objetivo: Ter o blog mais importante no setor de finanças para pequenos negócios.

  • Significativo: um blog relevante trará alto volume de visitantes que nos terão como referência;
  • Concreto: O time tem o know-how necessário para o nicho, e a concorrência está “alcançável”.
  • Orientado a ação: ajustes em SEO, performance e muitos conteúdos serão necessários.
  • Inspirador: tais conteúdos entregarão valor e encorajará milhões de brasileiros;

Resultados Chaves (Keys Results)

Já os resultados chaves, são métricas que ficam “anexadas” a cada objetivo. Cada objetivo pode ter uma ou mais métricas, dependendo da sua complexidade e contexto.

Segundo John Doerr, o objetivo dos resultados chave são muito simples: são eles quem nos dirão se tivemos ou não algum progresso significativo para cada objetivo.

Em outras palavras, é uma métrica / meta em que batemos o olho e constatamos se estamos indo bem ou não.

Os resultados chave precisam ser temporalmente limitados, agressivos, realistas, mensuráveis e metrificáveis.

Vamos continuar o exemplo da empresa de treinamento financeiro. Para o objetivo de ter o blog mais importante, podemos ter como métrica:

Obter 36 blog posts até o final do semestre

  • Temporalmente limitado, pois o deadline para o resultado chave é o fim do semestre;
  • Agressivo, visto que é uma média de 3 posts por semana. Poucas empresas fazem isso;
  • Realista, pois o time de marketing desta empresa consegue entregar esta tarefa;
  • Mensurável e verificável, pois basta ir no blog e contar quantas postagens foram realizadas.

Interessante? OKRs nos dão a possibilidade de canalizar energia para coisas que realmente são importantes. Por isso que o nome do livro do John Doerr é justamente “avalie o que importa”.

Os  9 passos para implementar OKRs

Passos

Simples, mas poderoso.

Se você acredita que OKRs é algo que pode te ajudar a evoluir seu time de marketing (ou até de outras áreas), listei os 6 passos que tenho utilizado ao definir e correr atrás dos objetivos que possuo.

1 – Veja o TED do John Doerr

É mandatório. O TED do John Doerr (com legenda em Português) é super inspirador e mostra um pouco de todo o poder que o framework possui. Eu (e creio que ninguém) tem tanta autoridade quanto o principal evangelizador do tema.

A propósito, durante sua passagem na Intel, John Doerr foi estagiário de Andrew Groove, o próprio inventor do Método. Com o tempo, John cresceu no vale do silício e se tornou investidor e mentor do Google. Foi ele quem apresentou o método aos fundadores do Google, que hoje é uma das empresas mais relevantes do mundo.

2 – Pense no que é realmente importante para seu negócio

É importante lembrar que os OKRs não são mágicas. São apenas uma ferramenta, que se usada com os “insumos” incorretos, só trará perda de tempo. Neste contexto é importante olhar para o negócio e entender o que realmente precisa ser priorizado. Não tem consultor que poderá dizer isso para você. É um exercício que cada gerente precisa fazer com seu time, em consonância com a estratégia da empresa como um todo.

3 – Defina os objetivos e métricas

Após rascunhar “para onde é preciso ir” no segundo passo, é hora de definir os objetivos e métricas. Atente-se para que cumpra os requisitos dos OKRs citados no início do texto, mas faça um esforço especial para que esteja muito bem escrito. O maior problema de definir uma métrica em conjunto são duplas interpretações, mal entendidos e coisas do tipo. Se possível, crie um documento complementar que elabore com mais palavras o contexto de cada objetivo, e a razão de escolha de cada resultado chave.

4 – Crie o hábito levantar os indicadores

No livro, John explica a importância das cerimônias. É necessário um follow-up para que os responsáveis levantem e divulguem os números de cada Resultado Chave. Outro item importante é saber a hora de revisar os objetivos e resultados chave, caso algo tenha deixado de ser relevante ou simplesmente não seja possível.

É altamente recomendado que seja feita uma reunião semanal dedicada aos OKRs, onde um líder seja facilitador da reunião. A finalidade deste líder, é basicamente “tocar o tambor” para que os remadores não percam o ritmo e trabalhem em conjunto.

5 – Aloque recursos

Em essência, é preciso disponibilizar tempo ou dinheiro para conseguir atingir um objetivo. É preciso colocar energia, senão nada se materializa.

Em outras palavras, se você definiu um objetivo com o time, mas não tem disponibilidade de força de trabalho, tecnologia, recursos ou investimento para tornar isso real, esqueça. É melhor tirar o objetivo do quadro e focar em algo entregável. Um simples exemplo é ter como objetivo implementar um canal no YouTube, mas não ter máquina para editar vídeos nem fornecedores para fazer isso.

6 – Envolva o Time

O maior erro dos OKRs é engavetá-los e deixar somente com o responsável do time. O segredo dos OKRs é a colaboração. Somente com o time envolvido que somos capazes de ter resultados acima da curva, e fazer o melhor possível com dentro de cada realidade. O que transforma é justamente o trabalho em equipe. Logo, defina os responsáveis por levantar cada métrica, o dono de cada objetivo, e o mais importante: envolva o time inclusive durante a definição dos OKRs trimestrais.

8 – Execução é tudo

Os Objetivos e Resultados chaves são “aspirações” e “métricas”, apenas. Escrevê-las, colá-las na parede e ficar de braços cruzados levará o time a lugar nenhum. Execução é tudo.

Em outras palavras, crie listas de tarefas e projetos com itens entregáveis que vão contribuir com cada objetivo, e que possam surtir efeito nas métricas escolhidas.

Se um KR é sobre criação de blog, naturalmente tarefas de redação, revisão e criação de linha editorial serão responsáveis. Para um KR que envolve a satisfação do cliente, também é possível enxergar tarefas como a realização de pesquisas, criação de formulários, revisão de reclamações, entre uma infinidade de itens executáveis.

9 – Não desista após errar

A verdade é que a criação de um hábito é algo difícil. Nem sempre será possível realizar reuniões semanais. O time pode cair num turbilhão de tarefas e se ver impedido de dar atenção para alguns objetivos durante um tempo. Em outros momentos, teremos objetivos irrelevantes, resultados chaves (indicadores) mal escritos… excesso de KRs…

Em outras palavras, é normal errar. O próprio blog do autor do livro diz que leva pelo menos 1 ano para “entrar no eixo” com os OKRs.

Então mantenha-se na posição de aprendizado, permita o erro, mas corra atrás de melhorar.

Extra: Baixe a planilha de acompanhamento

Planilha OKR

Possuo uma planilha que uso na React para o acompanhamento de OKRs. Nela, deixo “pré-cadastrado” as datas das reuniões, para apresentar os indicadores da semana. Caso você queira esse modelo (super simples, viu), é só falar comigo no Whats.

 

Artigos relacionados:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Precisa conversar?